Para Vítor Constâncio, a redução do défice tem de arrancar já este ano. «Não podemos esperar pela recuperação económica para reduzir o défice orçamental», disse o governador do Banco de Portugal (BdP), defendendo a necessidade de haver «sinais claros de que há vontade de reduzir o défice público».

O responsável pelo BdP, que falou aos jornalistas à margem de uma conferência, defendeu que a situação portuguesa está «dentro da média dos países europeus», mas exige «mais medidas» para travar o défice e a dívida pública.

«Não somos os piores da Europa, mas para manter a distância, temos que dar sinais de vontade colectiva para controlar a situação de imediato, de modo a nos prepararmos para a consolidação orçamental que deve começar em 2011», disse Constâncio, citado pela Bloomberg.

O ministro das Finanças já admitiu que o défice deverá ultrapassar os 8% do PIB em 2009, enquanto que Bruxelas limita até 2013 o prazo para reduzir o défice até aos 3%.