Os operadores portuários e o sindicato dos Estivadores do Porto de Lisboa chegaram a acordo na sexta-feira para terminar com a greve dos trabalhadores, disse à Lusa o presidente do Instituto Portuário dos Transportes Marítimos (IPTM).

O Sindicato de Estivadores decidiu no último dia de janeiro prolongar as greves no Porto de Lisboa até ao dia 24 de fevereiro após um plenário com os trabalhadores, em protesto contra o recurso a trabalhadores precários na carga e descarga de navios depois de terem sido despedidos 47 profissionais em 2013.

«Na sexta-feira houve uma reunião com o Sindicato dos Estivadores, com os operadores portuários e também com a participação da IDC [Conselho Internacional de Estivadores, no qual está filiado o Sindicato dos Estivadores português]», acrescentou João Carvalho.

«O resultado foi bastante positivo porque iniciou-se uma concertação e chegou-se a acordo entre operadores e sindicato», disse o presidente do IPTM, adiantando que na segunda-feira haverá um plenário para o levantamento da paralisação.

Os operadores e o sindicato iniciaram «um processo de negociação» que irá decorrer «até setembro», altura em que deverá estar concluído «o novo acordo coletivo de trabalho».

A reunião, que durou cerca de seis horas e decorreu no Instituto da Mobilidade e dos Transportes, contou a presença do IDC - International Dockworkers Council, que segundo João Carvalho, teve também um papel importante para a chegada de um acordo para a «paz social».

Neste encontro, todos realçaram a importância «da nova lei do trabalho portuário», em vigor há um ano, «ser respeitada», disse.