O vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, explicou esta sexta-feira, num debate com Heloísa Apolónia, na TVI24, que as privatizações saem caras, mas que as suas receitas abatem a dívida pública.

“O que é que significa nacionalizar os setores estratégicos? Significa nada menos do que um custo de 28 mil milhões de euros. É um ano inteiro de IVA e IRS”, respondeu Portas a Heloísa Apolónia, que levantou a questão das nacionalizações.

“O Estado não é bom proprietário e não é bom gestor e eu acho que essa prova já foi feita há muito tempo”, rematou.

Já a deputada do PEV realça que “há determinados setores que são de tal modo estratégicos para as opções de desenvolvimento do país que é nas mãos do Estado que devem estar, é uma gestão pública que devem ter”. 


Este frente-a-frente entre Paulo Portas e Heloísa Apolónia encerra o ciclo de debates que antecedeu a campanha eleitoral que arranca este fim-de-semana.  

Leia mais sobre este debate:

"O desespero nunca é bom conselheiro"