As reuniões da comissão de inquérito ao BES já começaram e ficou definida esta semana a data da primeira audição, que terá os supervisores e reguladores como protagonistas, mas o Partido Socialista quer ouvir mais duas pessoas a juntar às mais de 65 que já tinha apresentado em requerimento: os dois ex-diretores de supervisão do Banco de Portugal que se demitiram na quinta-feira.

São eles o diretor e o diretor-adjunto do Departamento de Supervisão Prudencial (DSP) do supervisor da Banca: Luís Costa Ferreira e Pedro Machado.

Segundo indicação de fonte do partido na comissão, citada pela Lusa, o pedido de audição será apresentado ainda esta sexta-feira ao presidente da comissão, o deputado do PSD Fernando Negrão.

O comunicado do BdP a anunciar a saída daqueles dois responsáveis refere que «o Conselho de Administração tomou conhecimento dos pedidos de desvinculação ao Banco de Portugal apresentados pelo diretor e diretor-adjunto do Departamento de Supervisão Prudencial (DSP), Dr. Luís Costa Ferreira e Dr. Pedro Machado, fundamentados na intenção de desenvolverem novos projetos profissionais».

O «Expresso» adiantou na quinta-feira ambos vão trabalhar para a consultora PricewaterhouseCoopers (PwC) e que receberam propostas de remuneração que o Banco de Portugal não conseguiu acompanhar.

Mais tarde, a consultora confirmou igualmente em comunicado, a contratação: «Luís Costa Ferreira e Pedro Machado, que até aqui desempenhavam funções no Banco de Portugal, reforçam a área de Business Consulting da PwC Portugal, no âmbito da estratégia de crescimento e aposta na consultoria a instituições financeiras, uma das big bets [grandes apostas] da firma».