O secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos, acusou esta segunda-feira o Governo de praticar políticas que agravam as desigualdades levando o país e a população ao empobrecimento, ao mesmo tempo que defende o combate às desigualdades.

"O primeiro-ministro disse que era preciso combater as desigualdades, mas este Governo tem agravado as desigualdades e não se vislumbra que vá aplicar políticas no sentido contrário", disse Arménio Carlos à agência Lusa.

O sindicalista alertou para a quebra de rendimentos dos últimos quatro anos, conseguida à custa do bloqueio da contratação coletiva e da estagnação salarial, da alteração da legislação de trabalho, do aumento dos impostos e da redução salarial no setor público.

"Tudo isto contribui para o agravamento das desigualdades e aumenta o empobrecimento da população e do país", disse.

A CGTP divulga esta segunda-feira em conferência de imprensa uma análise relativa às desigualdades e ao empobrecimento dos portugueses.

"Vamos mostrar que um número significativo de crianças é pobre, assim como os trabalhadores com salários muito baixos, que são empurrados para a pobreza e exclusão", afirmou o líder da Intersindical.

A CGTP vai apresentar um conjunto de propostas para inverter a situação, defendendo, nomeadamente, a criação de emprego de qualidade, a melhoria dos salários e a aposta nas funções sociais do Estado.