O ministro da Economia, António Pires de Lima, reconheceu esta quinta-feira no Algarve que está em estudo uma eventual fusão das empresas Refer e Estradas de Portugal, dentro de uma lógica de «boa gestão e racionalização de entidade públicas».

«Não existe nenhuma decisão tomada relativamente a essa hipótese de fusão, mas é um projeto que o Ministério da Economia está a estudar com interesse, porque corresponde ou pode corresponder a uma boa gestão e racionalização de entidades públicas relevantes», afirmou Pires de Lima ao ser questionado pela Lusa sobre a matéria.

O governante falou aos jornalistas no final de uma visita realizada hoje a uma unidade hoteleira de Albufeira, no Algarve, onde decorre um encontro de uma marca de automóveis alemã, mas escusou-se a avançar mais pormenores sobre o estudo relativo à fusão da empresa que gere a rede ferroviária nacional e a que gere as estradas portuguesas.

«Não vou aprofundar a questão, apenas reconhecer que o ministério da economia vê neste projeto interesse e, por isso, está a estudá-lo profundamente, mas enquanto não for tomada nenhuma decisão não me compete estar a entrar em maiores detalhes», respondeu Pires de Lima quando questionado sobre os pontos positivos de uma junção das duas empresas.

O ministro da Economia também não quis avançar uma data para uma decisão sobre esta matéria, afirmando que não tem ainda «nenhum calendário definido».

Pires de Lima fez questão de assinalar que a unidade hoteleira que visitou hoje no Algarve, o CS Salgados, «foi recuperada recentemente e é um bom exemplo de como se podem utilizar os novos mecanismo de recuperação de empresas ao serviço da economia», depois de nos últimos anos ter sofrido problemas financeiros.

«Esta herdade estava parada há um ano e está agora, depois de recuperada, a ser totalmente utilizada. E estamos a meio de março. Esta utilização e a minha vinda aqui é para reconhecer este investimento, de uma aposta de uma grande marca, a Mercedes, fez em Portugal ao ter durante 10 semanas ocupado, de forma sistemática, mais de mil quartos, numa altura ainda por cima que o Algarve tem um período menos intensa utilização», afirmou.

Pires de Lima referia-se ao Globaltraining, encontro que reúne concessionários da marca alemã e que, segundo o governante, «corresponde a cerca de 40 mil dormidas, em 10 semanas, e a talvez mais de oito milhões de euros de faturação de serviços para empresas que se dedicam de alguma forma a fornecer» o evento.

«Esta é claramente uma atividade, a organização de eventos, ainda por cima com esta enorme expressão, que nós no governo e no ministério da economia queremos salientar e realçar, porque desempenha um papel determinante para de alguma forma alisar a sazonalidade da nossa época turística, nomeadamente na área do Algarve», acrescentou.

Pires de Lima seguiu depois para cerimónia de distinção das Pequenas e Médias Empresas (PME) Excelência e PME Líder Albufeira 2014.