Os principais institutos económicos alemães reviram em baixa as previsões de crescimento da maior economia europeia para este ano. 

No relatório de primavera conjunto, estima-se agora que o PIB na Alemanha cresça 1,6% em vez dos 1,8% previstos no outono do ano passado.

As contas dos institutos ficam abaixo das previsões do Governo alemão que estimou um crescimento de 1,7% para 2016.

Já para 2017, o painel de economistas que integram os institutos alemães que colaboram no relatório – os institutos Ifo, de Munique, de Estudos Económicos (RWI), de Essen, Alemão de Estudos Económicos (DIW), de Berlim e Leibniz, de Halle - esperam um arrefecimento da economia para os 1,5%.