A Irlanda saiu da recessão no segundo trimestre, revelam os dados oficiais publicados esta quinta-feira, numa altura em que o país se prepara para abandonar o programa de resgate financeiro da troika a que recorreu em 2010.

Entre abril e junho, segundo números preliminares do gabinete de estatísticas irlandês (CSO), a economia cresceu 0,5%, impulsionada pelas exportações de serviços e pelo consumo privado.

O regresso ao crescimento acontece após três trimestres consecutivos de contração da economia irlandesa, que recuou 0,6% no primeiro trimestre, pela primeira vez desde 2009.

Em termos anuais, a economia irlandesa recuou 1,2%, segundo o gabinete de estatísticas.

Afundada pelos seus bancos e à beira do precipício após a explosão da bolha imobiliária, a Irlanda recorreu à ajuda dos seus parceiros europeus e do Fundo Monetário Internacional (FMI) no final de 2010, obtendo um resgate financeiro global de 85 mil milhões de dólares, em troca de um pacote de profundas reformas.

O país, que era dado como exemplo entre os Estados da zona euro sob resgate financeiro, negoceia atualmente com a troika (União Europeia, Banco Central Europeu e FMI) uma saída do programa de assistência financeira.