O Fundo Monetário Internacional (FMI) aconselhou o Japão a aplicar integralmente o plano de reformas económicas do atual primeiro-ministro, Shinzo Abe, para que o crescimento se mantenha.

Na avaliação anual, divulgada esta segunda-feira, o Fundo refere que a economia do Japão deverá apresentar uma taxa de crescimento de 2% em 2013, devido às medidas orçamentais e cambiais, embora se preveja um abrandamento, para 1,2%, em 2014.

Desde que regressou ao poder, em dezembro, Abe tomou como prioritário o relançamento da terceira potência económica mundial, escreve a Lusa.

As iniciativas, conhecidas como «Abenomics», incluem a reforma de um setor agrícola envelhecido e a liberalização da legislação laboral.

Apesar de pouco conhecido, o plano «Abenomics» quer impostos mais baixos para as grandes empresas, zonas empresariais especiais em algumas das maiores cidades, mais mulheres no mundo laboral e a participação do Japão numa área de livre comércio na zona do Oceano Pacífico.