O Governo espanhol aprovou esta sexta-feira o que considera ser o «primeiro orçamento de recuperação» para 2014, marcado pela «responsabilidade e realista» e mais otimista sobre o PIB e sobre o desemprego, explicou a vice-presidente do executivo.

«É um orçamento responsável e realista no qual se procura o equilíbrio entre a necessária austeridade e a contenção do gasto, especialmente de funcionamento, e o impulso da recuperação como base do crescimento sustentado», disse Soraya Saénz de Santamaría.

«É o primeiro Orçamento de Estado (OE) da recuperação. Os esforços de contenção mas também os esforços dos cidadãos permitem dar os primeiros passos para a recuperação», afirmou.

Sáenz de Santamaria referiu que o OE assenta num «novo quadro macroeconómico com a revisão de elementos importantes», nomeadamente a previsão de que o PIB crescerá 0,7% «em linha com o consenso de especialistas».

Prevê ainda melhorias no quadro do desemprego, que inicialmente o Governo tinha antecipado que ficaria nos 27,1% em 2014 e que agora terminará 2013 nos 26,6% baixando para os 25,9% no próximo ano.

Apesar da contenção de gastos, Saénz de Santamaría confirmou que haverá aumentos em despesas como bolsas, investigação e inovação e com apoio à reabilitação do parque habitacional.

Soraya Saénz de Santamaría falava aos jornalistas depois da reunião de hoje do Conselho de Ministros, que considerou «essencial para fixar linhas mestras do que tem que ser a evolução da economia, o quadro dos gastos e receitas e a agenda para consolidar a recuperação económica».

Além do projeto de lei OE, que será apresentado na segunda-feira às cortes, o Governo aprovou ainda o projeto de lei reguladora do fator de sustentabilidade do sistema de pensões, e um projeto para «a moderação e controlo dos preços e tarifas públicas».