O preço do barril de petróleo Brent, para entrega em dezembro, encerrou esta sexta-feira no mercado de futuros de Londres a cotar acima dos 60 dólares pela primeira vez desde junho de 2015, ao valorizar 1,93%, para 60,44 dólares.

O barril de crude do Mar do Norte, de referência na Europa, terminou a sessão no International Exchange Futures a cotar 1,15 dólares acima dos 59,29 com que fechou as transações na quinta-feira.

O preço do barril sofreu esta forte subida devido às expectativas dos investidores quanto à extensão das limitações da produção pelos membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP).

A Arábia Saudita exprimiu o apoio a estender para lá do terceiro trimestre de 2018 o congelamento das quotas de extração que os membros da OPEP e outros grandes produtores mundiais acordaram em novembro de 2016.

O barril de Brent chegou a cotar abaixo dos 30 dólares no início de 2016, afetado por um excesso de oferta no mercado que levou a OPEP a tomar medidas para reduzir as extrações.

A possibilidade de esses limites poderem ser prolongados até final de 2018 deu um novo impulso ao preço do crude europeu esta semana, cujo barril fechou a semana com uma valorização de 4,45%, em relação à abertura de segunda-feira.

As expectativas sobre os futuros passos da OPEP compensaram nos últimos dias as informações que sugerem um aumento futuro das exportações petrolíferas dos EUA, que pressionaria os preços para baixo.