Cada pescador vai receber cerca de 960 euros pela paragem da captura de sardinha com artes de cerco, que vigora durante 30 dias. Esta medida terá um custo total de três milhões de euros, segundo o secretário de Estado das Pescas.

A proibição temporária da captura de sardinha com artes de cerco foi publicada hoje em portaria e vigora a partir de quarta-feira, até 30 de abril. Quer isto dizer que os pescadores podem escolher quando vão parar a atividade por 30 dias e solicitar o respetivo apoio social.

Um mês de paragem significa três milhões de euros, mas o valor certo vai depender das candidaturas apresentadas"

O secretário de Estado José Apolinário explicou que a estimativa se baseia nos dados de apoios sociais do ano passado, quando foram apoiados 1.400 pescadores e 130 embarcações.

A interdição de pesca abrange as embarcações licenciadas para operar com artes de cerco na zona 9, desde a Galiza ao Golfo de Cádis, e que foi definida pelo Conselho Internacional para a Exploração do Mar (CIEM).

As medidas de apoio social agora publicadas integram-se num documento ainda mais amplo e que está a ser preparado com o país vizinho, segundo o governante.

"Estamos a trabalhar com Espanha para termos um plano concertado, um conjunto de medidas de recuperação do stock da sardinha, com gestão conjunta" dos dois países, disse à Lusa.

O documento, que ainda está a ser preparado, deve ser enviado a Bruxelas dentro de uma semana: “Estamos a trabalhar para ter tudo pronto em 4 de dezembro".