A idade da reforma deverá subir para os 66 anos já em janeiro, mas para os trabalhadores que descontam para a Segurança Social. No Estado, essa subida não vai acontecer, porque o Tribunal Constitucional chumbou o diploma de convergência de pensões, adianta o Diário Económico.

O TC deixou claro que cortar pensões não é inconstitucional, sendo que a medida não passou porque não reunia os requisitos necessários, já que qualquer corte tem de ter por base uma reforma abrangente, que inclua todos os pensionistas e deve ser gradual e diferida no tempo.

Os funcionários públicos que pediram a reforma este ano e conseguirem a aprovação no início de 2014 poderão escapar a agravamentos na penalização, que é de 0,5% por cada ,mês face à idade exigida.