Em 2015, a austeridade continua mas há algum alívio para os pensionistas. A contribuição extraordinária de solidariedade, que tinha taxas de 3,5 a 10%, é substituída pela nova contribuição de sustentabilidade, onde as taxas vão dos 2 aos 3,5%.

O governo garante que todos os pensionistas ficarão melhor do que estavam com a CES e os cálculos confirmam:

Uma pensão bruta de 1.200 euros, vai pagar apenas 24 euros com a nova contribuição de sustentabilidade. Ou seja, o pensionista recupera 18 euros.

Quanto mais alta a pensão, maior é o montante recuperado e as pensões mais elevadas, que são mais penalizadas com a CES, serão também as mais aliviadas em 2015.

Uma pensão de 3.000 euros vai pagar 95 euros, ou seja, recupera 160 euros do que paga agora, com a CES.

Uma pensão de 4.500 euros vai pagar 257 euros no ano que vem. O corte tem um alívio de 293 euros.

Mas o alívio nas pensões tem um preço. Ou melhor, dois: a contribuição dos trabalhadores para a segurança social aumenta dos 11 para os 11,2% do salário e a taxa normal de IVA sobe dos 23 para os 23,25%.

Com as novas regras pode ou não haver atualização anual das pensões. A única garantia é mesmo a de que as pensões não baixam.