Os pensionistas são dos poucos portugueses que vão sentir um alívio da austeridade com as medidas do Orçamento do Estado para 2015, sobretudo por via das alterações na Contribuição Extraordinária de Solidariedade.

OE2015 no seu bolso: o que muda e a austeridade que fica

Mas as simulações feitas pela PriceWaterHouseCoopers para a TVI mostram que, para a grande maioria, o efeito é muito pequeno.

Os reformados que ganham até mil euros por mês, e que são a grande maioria, não beneficiam desta alteração, porque já estavam isentos da CES. O único efeito positivo no rendimento destas pessoas deve-se ao aumento do salário mínimo, que faz com que a sobretaxa de 3.5% em sede de IRS passe a incidir sobre uma parte menor da pensão.

Um pensionista que ganhe 800 euros por mês só sentirá um alívio de 75 cêntimos no valor da pensão. O efeito é maior a partir dos mil euros: um reformado com uma pensão de 1600 euros mensais vai sentir um alívio de 61 euros por m ês. Mais de 60 euros dizem respeito à queda da CES e menos de um euro à ligeira descida da sobretaxa.

Quanto maior a pensão, maior o alívio: um pensionista com 1700 euros de pensão vai receber aos 65,5 euros por mês, 64 euros com o fim da contribuição e 1,50 euros com o efeito da sobretaxa.

A CES vai manter-se apenas para as pensões acima de 4611 euros. Em 2016, está previsto que essas taxas baixem para metade.