Desde o início do ano, a Autoridade Tributária penhorou e iniciou o processo de venda de 64.995 imóveis, o que representa o valor mais alto dos últimos anos e que coloca na rota das hastas públicas uma média diária de 197 terrenos, casas ou lojas, noticia o «Jornal de Notícias».

Os dados mostram que os imóveis continuam a ser o ativo mais procurado para a cobrança de dívidas fiscais. Por comparação com as 27.992 penhoras observadas no ano passado, as quase 65 mil ocorridas este ano correspondem a um aumento de 132%.

Este aumento não surpreende o presidente do Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos, Paulo Ralha, pois «reflete a cada vez menos capacidade de intervenção e de análise pelos serviços de Finanças» num processo que é cada vez mais automatizado, e também «a maior pressão para cumprir objetivos de cobrança coercisa», assinalou ao «Jornal de Notícias».