Desde setembro de 2013 já foram penhorados 402 milhões de euros com contas bancárias a contribuintes com dívidas em cobrança nos tribunais, escreve o Diário Económico.

A penhora de depósitos passou a ser automática, sem a ordem de um juiz, em resultado do novo Código de Processo Civil.

Dados da Câmara dos Solicitadores permitem concluir que desde 1 de setembro de 2013 e 21 de maio deste ano foram penhorados cerca de 833 mil euros por cada dia útil.

Nesse período os agentes de execução realizaram 152.625 penhoras eletrónicas sobre depósitos bancários ou valores mobiliários.

O novo Código prevê que após a penhora bancária o saldo que fica na conta não pode ser inferior a 500 euros.