A Comissão Europeia logo ofereceu ajuda a Portugal para reerguer Pedrógão Grande, depois do fatídico incêndio de 17 de junho, mas o Governo tem de fazer um pedido formal a solicitar a intervenção do fundo solidariedade europeu. E, segundo a comissão europeia, ainda não o fez.

Não podemos acelerar o que não temos. As autoridades portuguesas pediram-nos para acelerar o processo, mas não podemos sequer iniciá-lo porque não recebemos nenhum pedido formal"

Em conferência de imprensa, a comissária europeia para a Política Regional, Corina Cretu, disse que está ainda a aguardar essa formalização.

Na resposta, o Governo assegura que conclui "esta semana" os "contactos técnicos" relativos à ativação do fundo de solidariedade europeu, devendo o pedido formal seguir para Bruxelas após este processo.

Os contactos técnicos entre o Governo português e a Comissão Europeia relativos ao fundo de solidariedade serão concluídos esta semana, após o que o Governo apresentará de imediato a candidatura", disse hoje à Lusa fonte oficial do Ministério do Planeamento e das Infraestruturas.

Entretanto, o fundo criado pelo Governo já tem um site, mas ainda poucas informações e aplicação prática.

Os donativos superam os 13 milhões de euros e sabe-se já que os incêndios  vão custar cerca de 500 milhões de euros, entre prejuízos e dinheiro para a reconstrução.

Na semana passada, em resposta a questões colocadas pela TVI24, o ministério da Solidariedade não nomeou qualquer entidade que dê já a garantia, a quem quer ajudar, que o seu dinheiro chega a quem precisa.