Pedro Seixas Vale, presidente da APS, afirma que os dados obtidos junto das seguradoras "indicam que houve uma redução das reclamações, bem como se reduziu os casos em que a reclamação tinha razão de ser".

Numa conferência de imprensa destinada a anunciar a evolução do setor segurador em 2014, o presidente da APS refere também que, das 26 mil reclamações, houve uma em cada mil contratos, sendo que 50% estavam ligadas a sinistros.

"As reclamações nas seguradoras têm vindo a cair com relativa regularidade desde 2010, atingindo os 12%", adianta Miguel Guimarães, também da APS.

O estudo promovido pela associação refere igualmente que menos de um terço (31,5%) destas reclamações têm uma apreciação favorável ao reclamante, "uma parcela que tem vindo a decrescer sistematicamente".

Os dados adiantam que se registou ainda a redução do prazo médio de resposta a estas reclamações, passando para os 7,4 dias, quando em 2013 era de 9,8 dias.

O ramo Automóvel, um setor com algum conflito, viu as reclamações caírem 12% no ano passado quando comparado com 2013, enquanto que se analisado por tipo de reclamação, o que mais aumentou foram as queixas sobre o atendimento, com 66,3%.