O cabeça de lista da coligação PSD/CDS-PP às eleições europeias, Paulo Rangel, apresentou esta sexta-feira formalmente o gestor Pedro Reis como mandatário nacional desta candidatura, apontando-o como o rosto da sua agenda para o crescimento e emprego.

«Escolhemos alguém que, claramente, representa essa agenda de criação e emprego, essa agenda de estímulo ao crescimento para ser o mandatário nacional da lista e da coligação Aliança Portugal», declarou Paulo Rangel, numa sessão realizada num hotel de Lisboa, acrescentando que Pedro Reis é «o rosto dessa agenda para o crescimento e o emprego».

Entre os 45 pontos da «Agenda Europeia para o Crescimento e Emprego» da coligação PSD/CDS-PP, Paulo Rangel destacou o reforço do mercado único digital e do mercado único de bens e serviços, a conclusão do acordo comercial entre a União Europeia e os Estados Unidos, a economia do mar e a integração energética. Depois, o social-democrata desafiou o PS a propor «qualquer coisa» para a Europa.

Por sua vez, o centrista Nuno Melo, 4.º candidato da lista PSD/CDS-PP às europeias de 25 de maio, salientou a ideia de «reclamar mais apoio às empresas exportadoras». Um dos pontos da agenda hoje divulgada é o «reforço das linhas de apoio às exportadoras europeias».

Dirigindo-se a Pedro Reis, Nuno Melo disse sentir «muito orgulho» em ter o ex-presidente da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP) como mandatário nacional da coligação «Aliança Portugal».

No final da sua intervenção, Paulo Rangel voltou a alegar que o cabeça de lista dos socialistas às europeias, Francisco Assis, e o secretário-geral do PS, António José Seguro, não apresentam ideias para a União Europeia.

«No dia em que nós mostramos esta agenda europeia para o crescimento e para o emprego, eu desafio Francisco Assis e António José Seguro a dizerem qual é a agenda europeia que eles têm. Se têm uma agenda para a Europa, que digam qualquer coisa sobre Europa», acrescentou.