O ministro Pedro Mota Soares anunciou hoje que em três anos de Programa de Emergência Social foram investidos mais de 1,1 mil milhões de euros.

O ministro da Solidariedade, Emprego e Segurança Social, que está a ser ouvido na Comissão Parlamentar de Segurança Social e Trabalho, aproveitou para anunciar aos deputados que o Banco de Medicamentos, uma das medidas previstas no Programa de Emergência Social (PES), disponibilizou 150 mil embalagens, o que equivale, segundo o ministro, a 1,4 milhões de euros em medicamentos «totalmente gratuitos».

Já no que se refere ao mercado social de arrendamento, Pedro Mota Soares anunciou que este permitiu disponibilizar 3 mil casas, quando a meta eram 2 mil, e com arrendamentos com preços de cerca de 30 por cento abaixo do mercado.

Segundo o ministro, «tudo somado, representa um investimento de três anos no Programa de Emergência Social que se expressou em mais de mil e cem milhões de euros».

Na sua intervenção inicial, o ministro aproveitou também

para mencionar o aumento do número de vagas nos lares e creches, os novos serviços de apoio domiciliário, o aumento das comparticipações dos lares de infância e juventude ou a rede de cantinas sociais, que ultrapassa já as 800.