O vice-primeiro-ministro português, Paulo Portas, estima que Portugal vai crescer «largamente acima dos 2%» nos próximos anos, se não houver alterações graves a nível internacional.
 

«O que se discute sobre Portugal em 2015 é se nós cresceremos 1,5%, 1,6%, 1,7%, 1,8%, 1,9% ou 2% e há até algumas instituições académicas que projetam mais. É seguro que se não houver nenhuma alteração grave em termos internacionais, Portugal nos próximos anos crescerá largamente acima dos 2%».



Paulo Portas falava durante a sua intervenção na cerimónia de encerramento do Fórum Empresarial Brasil-Portugal, que trouxe a Lisboa uma comitiva brasileira, liderada pelo vice-presidente brasileiro, Michel Temer.

O governante português admitiu que Portugal não se encontra «numa situação ideal nem perfeita», mas frisou que lhe parece «evidente que o ciclo económico mudou para melhor».

Michel Temer tem em Lisboa uma intensa agenda de negócios e vem acompanhado dos ministros dos Portos, Edinho Araújo, e da Aviação Civil, Eliseu Padilha.

Já foi recebido pelo Presidente de Portugal, Aníbal Cavaco Silva, e tem hoje encontros com o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho. Na terça-feira, terá uma reunião de trabalho com o vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, a que se seguirá a assinatura de acordos.

A visita oficial do vice-presidente Michel Temer, que inclui uma visita à sede da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) e à Assembleia da República, tem o objetivo de estreitar o intercâmbio com o país europeu nas áreas comercial, científica, jurídica, social e tecnológica.