«esta tenha sido a última vez que Portugal bate à porta dos credores»





>«confundir as pessoas»
ao equivaler um programa cautelar a um segundo resgate, considerando tratar-se de «desinformação pura».

«Impressiona-me que o maior partido da oposição queira confundir as pessoas em vez de argumentar a partir de uma base de esclarecimento e informação», declarou Paulo Portas.