O vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, inicia este domingo uma visita a Buenos Aires, na Argentina, onde irá participar numa Reunião Económica de Alto Nível entre os dois países, anunciou fonte oficial.

«A missão de um dia e meio, a convite das autoridades argentinas, surge num momento de forte expansão das trocas comerciais bilaterais», refere o gabinete de Paulo Portas, numa nota enviada à agência Lusa. Em declarações escritas à agência Lusa, Paulo Portas disse que irá aproveitar «ao máximo o tempo» na capital argentina, sempre «com as exportações na mira».

As exportações portuguesas para a Argentina aumentaram de 61,9 milhões euros para 105,25 milhões euros de 2012 para 2013 e, no período 2009-2009, este crescimento foi da ordem dos 36,5%.

Já «as importações portuguesas são de cerca de 72 milhões euros, pelo que o saldo da balança comercial é favorável a Portuga»”, adianta a nota, informando que, atualmente, existem 200 empresas portuguesas a exportarem para a Argentina.

«Portugal tem seguido uma estratégia consistente de valorização da América latina para as nossas exportações marcas e empresas», explicou Paulo Portas. O vice-primeiro-ministro defendeu ainda que «é preciso dar sustentabilidade a esse esforço que está a ser desenvolvido por mais de 200 empresas».

O turismo é «outra área de importante desenvolvimento das relações económicas bilaterais», tendo o número de turistas argentinos em Portugal subido 42% nos últimos quatro anos, segundo dados oficiais.

O vice-primeiro-ministro adiantou que no dia e meio de visita a Buenos Aires irá ter cerca de dez reuniões com membros do Governo argentino. Nesses encontros, sublinhou, «aproveitarei para apresentar Portugal como um bom destino para investir à sociedade empresarial deste país muito próspero em recursos».

Paulo Portas irá reunir-se com presidente do Conselho Ministros (equivalente a primeiro-ministro), e com os ministros da Economia e Finanças Públicas, dos Negócios Estrangeiros, da Ciência, Tecnologia e Inovação Produtiva, da Planificação Federal, do Investimento Público e Serviços, da Defesa e do Turismo.

Estão ainda previstos encontros com investidores argentinos.