O vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, considerou hoje que a descida da taxa de desemprego, que em maio se fixou nos 14,3%, é um «sinal de esperança», destacando ser o valor «mais baixo em muitos anos».

«Agora apostamos tudo no crescimento económico e no emprego»

Taxa de desemprego em Portugal volta a descer em maio

«O desemprego está a descer constantemente, ainda lentamente, mas com uma tendência que já é muito significativa. Ficámos hoje a saber que o desemprego está em 14,3%. É o número mais baixo em muitos anos, é um sinal de esperança», afirmou Paulo Portas no encerramento do fórum de negócios Moçambique-Portugal, que decorreu esta terça-feira num hotel em Lisboa.

«Ainda há 14,3% de desemprego, mas em pouco mais de um ano descemos mais de três pontos percentuais o valor do desemprego», destacou o vice-primeiro-ministro, recordando que, durante o resgate, o desemprego chegou a atingir os 17,7%.

A taxa de desemprego em Portugal voltou a recuar em maio, para 14,3%, contra 14,6% em abril, menos 2,6 pontos percentuais do que um ano antes (16,9%), a segunda maior descida homóloga da União Europeia, segundo dados do Eurostat divulgados esta terça-feira.

Dirigindo-se aos empresários presentes, o vice-primeiro-ministro destacou que, depois da recessão, «o crescimento está de volta e há criação de emprego para que progressivamente o desemprego vá baixando».

O governante destacou ainda que, hoje, «por cada empresa que desaparece nascem duas», quando há um ano «por cada que nascia duas desapareciam», considerando que esta é uma «mudança para melhor» da economia portuguesa.