Paulo Núncio admite que a descida de impostos é «absolutamente indispensável» mas que isso depende da capacidade do Estado em reduzir a despesa pública e combater a evasão fiscal.

Declarações do secretário de Estado dos Assuntos Fiscais feitas no Parlamento, durante a apresentação do Relatório do Combate à Fraude e Evasão Fiscais de 2012: «Tenho sempre dito, de uma forma consistente, que a redução de impostos é absolutamente indispensável».

Ainda assim, existem dois factores que condicionam essa descida: «Por um lado, o alargamento da base tributária, por via do reforço da eficácia no combate à fraude e evasão fiscal. E esse caminho está a ser percorrido de uma forma consistente por este Governo desde o primeiro dia em que tomou posse. Em segundo lugar, por uma redução sustentada da despesa pública. É fundamental que a reforma do Estado possa ser concretizada e que seja possível reduzir a despesa pública».

«Estes dois pressupostos são indispensáveis para que possamos, a prazo, reduzir sustentavelmente a carga fiscal sobre as empresas e as famílias. Menos Estado e melhor Estado significa necessariamente menos impostos sobre as famílias e as empresas», frisou.