O secretário de Estado dos Assuntos Fiscais aplaudiu a abstenção do PS quanto à reforma do IRS, prometendo que o Governo tem «vontade para consensos».
 

«Saudar a posição do PS que ontem se absteve na votação na generalidade da reforma do IRS, anunciando que apresentará propostas em sede de especialidade. Esta posição é positiva porque abre o caminho para um debate construtivo e abrangente sobre o desenho final da reforma».

 
Paulo Núncio voltou a assinalar que «o Governo está disponível para trabalhar com os deputados da oposição para encontrar soluções» de uma maior «progressividade, equidade e justiça fiscal».

«O Governo manterá, assim, a porta do diálogo aberta e aguardará pela apresentação das propostas de alteração por parte dos partidos da oposição, reiterando desde já a sua disponibilidade para trabalhar construtivamente no sentido de aproximar os diversos pontos de vista».

 
Durante um debate, no Porto, Paulo Núncio realçou que a reforma do IRS está centrada em três objetivos: na proteção de família com filhos, na simplificação e no fomento da mobilidade social e geográfica.
 
Segundo o governante, a reforma do IRS introduz um quociente familiar «que determina uma redução da tributação efetiva de famílias com filhos ou avós a cargo».
 
Defendendo ser uma «excelente reforma, tecnicamente consistente», o secretário de Estado garantiu que se «baterá até ao fim» pela mesma.