A Google já não é a melhor empresa para os pais trabalharem. Pelo menos, é o que diz o ranking anual do site Fatherly, que coloca no topo da lista a Netflix e relega a gigante tecnológica norte-americana para sexto lugar.

De acordo com o site, este ano o número de semanas de licença de paternidade dadas pelas empresas quase duplicou desde 2015. São agora sete semanas e meia em vez das quatro, como em 2015.

O ranking teve em conta não só aquilo que as empresas pagam aos novos pais, mas também outras políticas amigas da natalidade.

Algumas empresas que estavam no topo da lista em 2015 desceram alguns lugares, não por terem piores políticas, mas porque outras empresas adotaram melhores regras. É o caso da Netflix, que passou a dar um ano de licença quer para mães, quer para pais.

Confira a lista das melhores dez:

  1. Netflix
  2. Spotify
  3. Facebook
  4. Patagonia
  5. Pinterest
  6. Google
  7. Microsoft
  8. Bank of America
  9. LinkedIn
  10. Twitter