O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, disse esta sexta-feira que Portugal precisa de atrair investimento externo «como de pão para a boca», para ultrapassar o «défice de capital» existente no país.

Durante a apresentação de um programa municipal de apoio ao investimento no concelho de Anadia, Passos Coelho manifestou ter esperança num crescimento mais sustentado no futuro, tendo em conta a forma como o investimento tem vindo a retomar, sobretudo em 2014 e este ano.

«Os dados que vimos observando são encorajadores. A nossa economia começou a retomar no início de 2013 e tem estado consecutivamente em terreno positivo durante todo o ano de 2014 e a perspectiva é que o ano de 2015 seja um ano de crescimento mais significativo», referiu, adiantando que é esperado o mesmo para os próximos dois anos.

No entanto, para que este crescimento se possa concretizar, o primeiro-ministro sublinhou que é preciso «como de pão para a boca de atrair também investimento externo», afirmando que Portugal «tem défice de capital».

«Os nossos empreendedores têm boas ideias e bons projectos, mas não têm dinheiro. Os nossos empresários precisam de mais capital para poder aumentar a capacidade e poder exportar mais e competir melhor», prosseguiu.

No seu discurso, o primeiro-ministro referiu que os empreendedores e empresários têm dependido demasiado do financiamento bancário e defendeu a necessidade de diversificar as fontes de financiamento e de atrair outros capitais e outros investidores.

«Sem isso, o nosso 'stock' de capital é demasiado limitado e não nos permitirá crescer o suficiente. E isso significa que temos de ir à procura desses investidores. Temos de criar melhores incentivos, melhores condições para que eles vejam em Portugal uma boa oportunidade para investir», concluiu.

O programa «Invest em Anadia», promovido pela autarquia local, liderada por um movimento independente, tem entre os principais objectivos a promoção do empreendedorismo e a captação de novos investimentos.

A primeira medida do programa, hoje apresentado, foi a criação de um Gabinete de Atendimento às Empresas e ao Empreendedor, no Curia Tecnoparque.

A presidente da Câmara de Anadia, Teresa Belém, aproveitou a oportunidade para recordar uma reivindicação antiga da autarquia, que é a construção do nó de acesso à Autoestrada A1, para facilitar a ligação às áreas empresariais.