O primeiro-ministro manifestou-se esta terça-feira confiante no futuro, falou numa «nova fase que se abre» para Portugal e afirmou esperar que a recuperação económica permita «sarar feridas» e «compensar setores mais vulneráveis».

Pedro Passos Coelho deixou esta mensagem de «muita, muita confiança no futuro» depois de ouvir dois grupos musicais, um do Baixo Alentejo e outro do Minho, cantarem as Janeiras nos jardins da residência oficial de São Bento, em Lisboa.

«Estou muito confiante de que está ao nosso alcance - não depende vagamente daquilo que fizermos, depende grandemente daquilo que fizermos - termos a possibilidade de materializar uma recuperação que nos permita sarar feridas, compensar setores mais vulneráveis da sociedade portuguesa, mas sobretudo criar condições para que uma maior riqueza possa ser gerada, porque sem gerar riqueza também não a podemos distribuir melhor», afirmou o chefe do executivo PSD/CDS-PP, citado pela Lusa.

«Isso está perfeitamente ao nosso alcance, como disse, apesar das incertezas», acrescentou o primeiro-ministro.

Em seguida, Passos Coelho considerou que Portugal e a União Europeia fizeram «grandes progressos nos últimos anos», reiterando: «Portanto, temos hoje boas razões para encarar com mais confiança o futuro».