O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, elogiou esta segunda-feira a EDP, pelo seu papel social e contributo para a economia, e considerou que muitos esquecem o "sacrifício adicional" feito pelas grandes empresas e pelo setor financeiro nestes últimos anos.

Durante uma iniciativa da Fundação EDP, o chefe de Governo realçou que não está programada a remoção da sobretaxa de IRC nem do aumento da taxação das mais-valias financeiras, ao contrário do que acontece com medidas como os cortes salariais no setor público e a sobretaxa de IRS, declarando: "Há muita gente que já se esqueceu que estas medidas tiveram de ser adotadas e de que ainda estão em prática".

Nesta iniciativa, realizada no Museu da Eletricidade, em Lisboa, para assinalar os dez anos do programa EDP Solidária, Passos Coelho atribuiu em nome do Governo PSD/CDS-PP um prémio à empresa, pelo seu papel social, e apontou-a como um exemplo de abertura económica, sustentando que se tornou melhor com a privatização.