O primeiro-ministro considerou esta quarta-feira que os 26 mil milhões de euros que representam o acordo de parceria com a comissão europeia serão um «instrumento decisivo» para o crescimento económico e a criação de emprego nos próximos sete anos.

Barroso: 26 mil milhões à disposição de Portugal são «uma pipa de massa»

«Este acordo de parceria representa praticamente 26 mil milhões de euros que Portugal poderá utilizar nos próximos sete anos, no contexto de recuperação económica e financeira que estamos a viver estes recursos são decisivos para o crescimento da nossa economia», afirmou o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, na apresentação do acordo de parceria, na residência oficial do primeiro-ministro.

Classificando este dia como «muito importante para Portugal», Passos Coelho insistiu que o acordo de parceria será fundamental para «ter uma economia mais competitiva e geradora de emprego».

O acordo, celebrado ao abrigo da política de coesão, entre 2014 e 2020, define a estratégia para a utilização de fundos estruturais europeus e de investimento da União Europeia em todo o País.A parceria foi fechada entre as partes a 16 de julho.