O primeiro-ministro considerou esta sexta-feira que a decisão da Irlanda de regressar autonomamente aos mercados deve servir de inspiração e que não há razão para Portugal desejar o mesmo, mas para isso tem de cumprir os seus compromissos.

«Não há razão para nós não podermos desejar o mesmo. Sendo que, para isso, temos evidentemente de cumprir, como a Irlanda cumpriu as suas metas, os seus objetivos, com um amplo consenso nacional e uma grande mobilização de vontades. Tenho a certeza que é isto que os portugueses merecem, e estou confiante que o sentido de responsabilidade de todos o vai permitir também para Portugal», declarou Pedro Passos Coelho.

O chefe do executivo PSD/CDS-PP assumiu esta posição no final de uma intervenção que fez durante uma visita a instalações da Santa Casa da Misericórdia da Aldeia da Galega da Merceana, no concelho de Alenquer.