O primeiro-ministro Pedro Passo Coelho adiantou esta terça-feira, em Bruxelas, que Portugal mantém a ambição de concluir o programa de assistência sem um reforço do envelope financeiro.

Em conferência de imprensa após de uma reunião com a comissão ministerial portuguesa e os membros da Comissão Europeia, entre os quais o presidente Durão Barroso, o primeiro-ministro sublinhou que o objetivo do Governo passa pelo «reforço de mecanismos de confiança e credibilidade», para cumprir a meta de 4,5% do défice em 2014, uma meta que considerou ser «bastante exigente».

«Lutaremos, com todas as forças, para cumprir este Orçamento de Estado», sublinhou o Chefe do Governo português, acrescentando que, apesar de este Orçamento do Estado ser «exigente», «dá-nos possibilidade de fechar este período e prosseguir o nosso caminho».

Nesta conferência, Durão Barroso negou que esteja a ser negociado com Bruxelas um programa cautelar com Portugal.