O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, mostrou esta terça-feira não querer entrar em polémica em relação às palavras do Presidente da República sobre o caso BES.

Cavaco Silva disse ontem que era errado afirmar que os contribuintes seriam chamados a pagar eventuais prejuízos com a venda do banco. Já esta tarde, Passos Coelho voltou a dizer que o Estado não usará dinheiro dos contribuintes.

Recorde-se que, na semana passada, tanto a ministra das Finanças, como o primeiro-ministro admitiram que os bancos que vão participar no Fundo de Resolução do BES podem vir a ter prejuízos com a operação, entre eles a Caixa Geral de Depósitos.