Vários dos partidos com assento na comissão parlamentar de inquérito ao Banif anunciaram esta quarta-feira a apresentação de requerimentos pedindo acesso a novos documentos ou novo envio de papéis, inclusive do Banco de Portugal (BdP), que chegaram rasurados.

A deputada do Bloco de Esquerda (BE) na comissão, Mariana Mortágua, lamentou "páginas inteiras com fitas pretas, impossibilitando qualquer tipo de leitura", que chegaram hoje às mãos dos deputados: "Não existe nenhuma razão para não serem enviados na sua totalidade à Assembleia da República" os documentos em causa, frisou, tendo sido corroborada por todos os grupos parlamentares.

O partido pediu ao presidente da comissão, o deputado comunista António Filipe, a "correspondência trocada com a Autoridade Bancária Europeia completa, sem as rasuras, inseridas na documentação recebida hoje "em anexo a um ofício do BdP, e a "documentação completa do Banco Central Europeu relacionada com o Banif, sem as rasuras inseridas na documentação recebida hoje" também por via do banco central português.

João Almeida, deputado do CDS-PP na comissão de inquérito, definiu mesmo os documentos como "rasurados de forma inaceitável", mas sublinhou que estes, mesmo com as referidas limitações, "permitem tirar algumas conclusões" para os trabalhos dos deputados.

PS e PSD também anunciaram novos requerimentos com pedidos de documentação e de uma nova audição, no caso dos sociais-democratas: a da comissão de trabalhadores da Oitante, veículo que ficou com ativos do Banif no âmbito da sua resolução.

Antes da reunião de hoje da comissão, onde é ouvido Carlos Tavares, presidente da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), já o Partido Comunista Português (PCP) havia revelado que vai pedir acesso a novas informações.

Do Governo, os comunistas pedem "todos os documentos relativos às operações relacionadas" com a venda de uma carteira de crédito do Banif pela Arrow Global; do Banif, o PCP pede os papéis relacionados com as transações entre o banco e a Arrow Global; por fim, à Administração Tributária e Aduaneira (AT), é pedido o acesso aos documentos referentes às mesmas operações entre o Banif e o grupo inglês que recentemente contratou a ex-ministra das Finanças do PSD Maria Luís Albuquerque.