O aumento do salário mínimo nacional acabou por ser o ponto forte da reunião da Concertação Social de hoje, tendo ficado agendado um encontro para a sua discussão na quarta-feira, noticia a Lusa.

A discussão desta matéria não tinha sido agendada pelo Governo, mas as centrais sindicais fizeram questão de a colocar em cima da mesa. A resposta do ministro do Emprego, Solidariedade e Segurança Social, Pedro Mota Soares, foi a marcação de uma reunião do grupo de trabalho sobre o salário mínimo para quarta-feira.

A CGTP tem reivindicado o aumento do SMN para os 515 euros com efeitos a 1 de junho e a UGT reivindica um SMN de 500 euros retroativo a 1 de julho. Atualmente o salário mínimo é de 485 euros.