Os trabalhadores da papeleira Soporcel, da Figueira da Foz, desconvocaram o segundo período de greve que estava previsto iniciar-se segunda-feira às 00:00 e estender-se até às 24:00 de quinta-feira, disse à Lusa fonte sindical.

Segundo Vítor Abreu, da Comissão Sindical, o pré-aviso foi levantado cerca das 19:00, no seguimento de uma decisão do plenário de trabalhadores realizado este domingo.

Os trabalhadores da Soporcel cumpriram um período de greve de quatros dias, que terminou às 24:00 de sábado.

«Desconvocámos o segundo período de greve para aguardar alguma ação da Comissão Executiva e conforme for o diálogo voltar a tomar as medidas que entendermos serem necessárias», sublinhou Vítor Abreu.

Num e-mail enviado sábado à agência Lusa, a direção de comunicação do grupo Portucel Soporcel considerava que, «nestas circunstâncias, é importante que os colaboradores se interroguem: tendo a Comissão Executiva assumido o compromisso de reunir brevemente com a Comissão Sindical, que argumentos existem para que a greve prossiga».

«A administração reafirma mais uma vez a vontade real de diálogo construtivo, pelo que logo que a situação esteja normalizada disponibilizará uma data para a reunião», lê-se no comunicado.

Os trabalhadores contestam as alterações ao fundo de pensões que, de acordo com fonte sindical, passará do sistema atual, intitulado de «benefício definido» - a empresa contribui com 8% do salário dos trabalhadores e garante o capital do fundo - para um sistema de «contribuições definidas», em que a participação da empresa baixa para os 4% (podendo os colaboradores, voluntariamente, contribuírem com a percentagem que quiserem), mas o capital existente no fundo passa a depender das flutuações do mercado e outros aspetos.

Os trabalhadores alegam que com as novas regras vão ter um prejuízo de 40% a 60% nas pensões.

A unidade industrial da Soporcel em Lavos, que integra o grupo Portucel Soporcel, segundo maior exportador nacional em 2013, entrou em funcionamento em 1984, e desde essa data não havia registo da convocação de qualquer greve.