A adesão à greve dos trabalhadores da Infraestruturas de Portugal (IP) para reclamar aumentos salariais é superior a 90%, de acordo com o coordenador da Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans), José Manuel Oliveira.

Em declarações aos jornalistas na estação de Santa Apolónia, em Lisboa, José Manuel Oliveira estimou que a greve no setor ferroviário seja superior a 90% e que no setor rodoviário se aproxime desse valor também.

O coordenador da Fectrans lamentou que esta greve tenha de se fazer face “à intransigência da administração da IP”, salientando que a proposta que lhes foi apresentada no sábado apontava para “um aumento salarial inferior a dois euros mensais no caso de alguns trabalhadores".

Não faz sentido que haja um acordo aqui relativamente à IP diferente daquele que foi conseguido na CP, onde houve um aumento intercalar de salários até estar terminada a negociação do Acordo Coletivo de Trabalho”, disse.

José Manuel Oliveira sublinhou que no caso dos trabalhadores da IP há realidades muito diversas, o que fará com que o processo de negociação se prolongue por muito tempo, e por isso defendem um aumento intercalar.

Os trabalhadores da IP fazem hoje uma greve para reclamar aumentos salariais de cerca de 4%, que garantam no mínimo 40 euros a cada trabalhador, prevendo-se "fortes perturbações e supressões" na circulação de comboios.

Suprimidos mais de 430 comboios

Segundo fonte oficial da CP – Comboios de Portugal,  à TVI, num dia normal teriam circulado, entre as 00:00 e as 12:00, 584 comboios, mas hoje realizaram-se 154, ou seja, foram suprimidos 430. 

Os serviços mínimos definidos preveem 25% da circulação, em horário normal e nos serviços Alfa, Intercidades e Internacionais, bem como no comboio da Ponte 25 de Abril (Fertagus) - estes últimos não contam para esta contabilidade da CP por serem de outra empresa.

Ou seja, mesmo no que toca aos serviços mínimos, no caso da CP circularam menos cinco comboios até às 12:00.

Na Fertagus, que faz a ligação ferroviária na Ponte 25 de Abril,  entre as 00:00 e as 09:39 circularam 16 dos 21 comboios habituais, noticia a Lusa.