O primeiro-ministro, os lesados do papel comercial, o Banco Espírito Santo, o Banco de Portugal e a CMVM vão assinar esta tarde um memorando para solucionar o problema dos destes clientes do BES, confirmou a TVI

Não é ainda um acordo final, mas mais um passo para compensar os clientes lesados, que há mais de ano e meio perderam o seu dinheiro com o colapso do Grupo Espírito Santo. 

O memorando fixa os termos para o início das negociações materiais, ou seja, define timings para chegar a acordo, o universo dos lesados abrangido pela solução que for encontrada, entre outros pontos relevantes. 

A assinatura do documento está marcada para as 18:00.

As autoridades envolvidas já tinham transmitido que queriam chegar a acordo até abril, podendo o BES ser chamado a participar na compensação a estes clientes. E é, de facto, uma das partes chamada à mesa para assinar o memorando.

A primeira reunião entre a Associação dos Indignados e Enganados do Papel Comercial, o Governo, o Banco de Portugal e a CMVM aconteceu a 14 de março. No dia a seguir, o advogado dos lesados sublinhou a mudança de atitude dos representantes daquelas três partes e mostrou-se confiante num consenso. A assinatura deste memorando, prevê-se, irá nesse sentido.