A Direção de Serviços de Investigação da Fraude e das Ações Especiais pediu formalmente, na segunda-feira, ao Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação a identificação dos cidadãos nacionais envolvidos nos Panama Papers.

A resposta foi comunicada à Autoridade Tributária, esta terça-feira de manhã, pelos dois repórteres portugueses do Consórcio:

“Somos uma organização independente de jornalistas. Não podemos, nem devemos facultar os documentos porquanto não nos pertencem e, por outro lado, não somos o braço armado dos Estados. Somos jornalistas de investigação”

As autoridades fiscais de inúmeros países pediram nos últimos dias ao Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação os ficheiros. A resposta da organização foi sempre negativa.