As empresas portuguesas melhoraram em 2 dias o atraso de pagamentos face ao 1º trimestre de 2014, estando a média nos 30,5 dias em maio deste ano.

No anterior trimestre, o primeiro de 2014, a média encontrava-se nos 32,5 dias de atraso, segundo o barómetro Informa D&B.

Na Europa, este indicador foi de 14,9 dias no final do 1º trimestre de 2013, não existindo portanto alteração face ao último trimestre de 2013.

No ano passado, 2013, 16,5% das empresas realizaram os pagamentos nos prazos acordados sendo a média europeia de 38%. A maioria percentual recai nos atrasos até 30 dias concentrando 58% em Portugal face aos 51,2% da Europa. O atraso dos pagamentos entre 30 a 90 dias corresponde a 12,7% das empresas portuguesas e 12,8% atrasam-se mais que 90 dias. Na Europa estes valores são mais baixos com apenas 6,9% das empresas atrasar-se entre 30 a 90 dias e 3,9% a excederem os 90 dias.

Apenas a Alemanha, Países Baixos, Bélgica e a França registam valores abaixo da média europeia.

Acima da média europeia encontra-se o Reino Unido, Irlanda, Itália, Portugal e Espanha. Este último foi o único país que melhorou o número de dias de atraso apresentando uma redução de 1,35, face ao último trimestre de 2013.

Portugal, Itália e Bélgica apresentaram uma deterioração do prazo, embora os dados apontem para a evolução de Portugal no quarto mês de 2014.