A Grécia já pagou ao Banco Central Europeu tudo o que devia, confirmou a própria instituição no Twitter. Atenas já tinha anunciado, de manhã, que tinha dado ordens no sentido de reembolsar o BCE e também o FMI, o que faz com que a maior parte dos sete mil milhões de euros que recebeu do empréstimo-ponte tenham 'voado' depressa.
 
A Grécia tinha de pagar hoje ao BCE 3,5 mil milhões de euros relativos a títulos que venciam e 700 milhões em juros.

O empréstimo-ponte foi  aprovado na semana passada. Atenas devia 4,2 mil milhões de euros em obrigações ao BCE.

E deu ordem, também, para reembolsar o Fundo Monetário Internacional, já que falhou os últimos dois reembolsos,  no valor de dois mil milhões de euros. O último pagamento vencia a 13 de julho, no mesmo dia em que o governo grego e os credores internacionais   conseguiram um acordo. 


 


"Posso confirmar que a Grécia liquidou hoje o que devia ao FMI e deixou de ter pagamentos em atraso", indicou o porta-voz Gerry Rice em comunicado.

Atenas tinha dois reembolsos em atraso ao FMI, um de 1,5 mil milhões de euros, que venceu no final de junho, e um outro no valor de 500 milhões de euros.

O Eurogrupo deu luz verde às instituições, na passada sexta-feira, para negociarem o  terceiro programa de resgate à Grécia. A reunião dos ministros das Finanças da zona euro concluiu que Atenas cumpriu a primeira parte das exigências: fazer aprovar a legislação no parlamento que agrava a austeridade. ​ 

Esta segunda-feira ficou também marcada pela  reabertura dos bancos gregos, depois de três semanas sem abrir portas.O controlo de capitais mantém-se, mas os levantamentos e as compras com cartão de crédito estão mais flexíveis.