O vice-presidente do Parlamento Europeu (PE), que termina a visita a Portugal para avaliar a missão da troika no país, afirmou que «Portugal pode acabar o programa a 17 de maio, antes das eleições europeias».

O eurodeputado Othmar Karas, relator do documento que o Parlamento Europeu vai redigir sobre os quatro países intervencionados pela troika falava hoje em conferência de imprensa, em Lisboa.

«Tenho a certeza de que Portugal pode terminar o programa no dia 17 de maio de 2014, uma semana antes das eleições europeias. Estamos agora mais preparados que estávamos no passado para resolver problemas como a crise que temos», afirmou Karas.

O eurodeputado francês, do Partido Popular Europeu, disse ainda que Portugal «está a mostrar sinais de recuperação económica» que vão tirar o país da crise, reconhecendo que «os portugueses fizeram muitos sacrifícios», os quais não devem ser exigidos novamente.

Othmar Karas admitiu que «a troika não é um corpo comum», considerando que «há instituições diferentes dentro do grupo, com prioridades e soluções diferentes».

Para o vice-presidente do Parlamento Europeu, «não há uma solução única» e é preciso encontrar um «equilíbrio entre consolidação orçamental, reformas estruturais e iniciativas para o crescimento e o emprego».

Othmar Karas chegou a Lisboa integrado numa delegação de eurodeputados da Comissão dos Assuntos Económicos e Monetários do Parlamento Europeu integra os portugueses Diogo Feio (CDS-PP), José Manuel Fernandes (PSD), Elisa Ferreira (PS), Ana Gomes (PS) e Marisa Matias (Bloco de Esquerda).