O prazo para os ministérios apresentarem as propostas de orçamento terminou à meia-noite, mas 137 das 433 não foram entregues, de acordo com a informação disponível na página oficial da Direção-Geral do Orçamento (DGO).

Às 00:00 de hoje, de um total de 433 propostas de orçamento para 2014, estavam por submeter nos serviços da DGO 137 documentos e apenas 78 tinham sido validados, sendo que 218 tinham sido submetidos, mas não validados, o que significa que podem ainda sofrer alterações ou correções antes de serem validados.

Numa circular enviada aos serviços, o Ministério das Finanças esclareceu que, caso estas propostas não fossem entregues até à data limite, «será considerado o orçamento de 2013 com os ajustamentos que o Ministério das Finanças achar por conveniente introduzir por forma a viabilizar a finalização dos trabalhos do Orçamento do Estado».

Assim, os serviços ficariam sem capacidade para decidir os seus próprios orçamentos e o Ministério das Finanças teria o poder discricionário para aplicar os cortes que achar necessários.

O prazo inicial para concluir a entrega das propostas foi estipulado para as 24:00 de segunda-feira, 26 de agosto, mas nesse dia as Finanças prolongaram o prazo por 48 horas.