A revisão do Orçamento Geral do Estado (OGE) angolano implica o corte de um terço do total da despesa pública, com a redução da previsão de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) para 6,6 por cento.

O documento, hoje aprovado em reunião do Conselho de Ministros, nota a Lusa, resulta da quebra das receitas petrolíferas e nele se confirma ainda um défice estimado para 2015 de 6,2% do PIB, contra os 7,6% do OGE ainda em vigor.

Além disso, de acordo com a informação transmitida pelo Ministro das Finanças no final da reunião do Conselho de Ministros de hoje, a cotação de referência para a exportação do barril de petróleo cai para metade no novo documento.

«Esta revisão deve-se essencialmente à baixa da receita petrolífera, em cerca de 59%, fruto da assunção de uma nova referência do preço do petróleo, estando a ser considerado o barril de petróleo a 40 dólares, contra a estimativa inicial de 81 dólares», declarou aos jornalistas o ministro Armando Manuel.