Os trabalhos da comissão de inquérito à Caixa Geral de Depósitos (CGD) vão ser interrompidos até à discussão sobre o Orçamento do Estado (OE) terminar, no final de novembro, indicaram fontes da comissão à agência Lusa.

Os deputados da comissão reuniram-se esta sexta-feira de manhã, antes do debate quinzenal, e a suspensão dos trabalhos durante o período de discussão orçamental terá ainda de ser ratificada em plenário, mas desse modo é interrompida a contagem dos dias em que a comissão dura.

Quando os trabalhos forem retomados haverá audições por ordem cronológica e por blocos temporais, indicaram duas fontes à Lusa, abarcando responsáveis políticos e do banco entre 2000 e 2015.

Na semana passada chegou a pensar-se em fazer uma pausa maior nos trabalhos, nomeadamente devido a documentação pedida à CGD e ao Banco de Portugal e não recebida ainda, tendo inclusive os deputados da comissão pedido ao parlamento para recorrer ao Tribunal da Relação sobre a entrega da referida comissão.

Com a suspensão dos trabalhos, é interrompido o prazo de 120 dias da comissão de inquérito - prazo que pode ser estendido por um período máximo de 180 dias se acordado pelos deputados.