O Governo acolheu esta quinta-feira a proposta do PCP para um aumento de pelo menos 10 euros de todas as reformas, sendo que o acerto será feito a meio do ano, segundo apurou a TVI.

Em janeiro, todas as reformas serão atualizadas ao nível da inflação e as mais baixas ainda terão um acrescimo de 0,5 pontos percentuais por via do crescimento da economia. No caso de estes aumentos serem inferiores a dez euros, então o restante será compensado, mas só a meio do ano.

O Governo acabou assim por aceitar a reinvindicação do PCP de que o aumento de 10 euros abrangesse todos os reformados.

Esta medida, no total, vai custar 140 milhões de euros e abrange 1,6 milhões de pensionistas.

Só no caso das pensões mínimas que nunca tiveram cortes é que o aumento não chegará aos 10 euros e rondará os seis euros.

Nas diversas reuniões e contactos entre o executivo socialista e elementos dos partidos com os quais tem posições conjuntas, que prosseguem até sexta-feira, data de entrega no parlamento da proposta do Orçamento do Estado para 2018 (OE2018), ficou também definido o fim do corte de 10% no subsídio de desemprego ao fim de seis meses daquele apoio social.

Se não estiver plasmado já na proposta de lei (OE2018) do Governo, houve abertura para o fazer através de proposta de alteração em sede de debate na especialidade", especificou fonte das negociações à agência Lusa.