O Ministério das Finanças foi obrigado retificar o Orçamento do Estado para acomodar o aumento de despesas com pessoal e os gastos com aquisição de bens e serviços, escreve o Diário Económico.

O reforço de verbas atingiu quase 700 milhões de euros até setembro, revelam os técnicos da unidade técnica de apoio orçamental, numa nota de análise à execução orçamental referente aos primeiros nove meses do ano.

No caso das despesas com pessoal, a dotação orçamental teve de ser aumentada em 168,5 milhões de euros face ao orçamento inicial, enquanto nos gastos com aquisição de bens e serviços, o reforço foi de 524 milhões de euros, revelam os técnicos do parlamento.

Os técnicos explicam que estas mudanças fazem parte da gestão do orçamento e não têm de passar pelo crivo do parlamento