No Orçamento do Estado de 2014, o Governo subavaliou as receitas de impostos, de tal forma que conseguiria atingir os objetivos de encaixe fiscal a que se propôs, mesmo que o Fisco arrecadasse menos impostos do que no ano passado.

Considerando as taxas de crescimento registadas nos primeiros 5 meses do ano, é possível identificar uma folga de centenas de milhões de euros, escreve o Jornal de Negócios.

Significa isto que se o Executivo cumprisse com os objetivos de despesa pública inscritos no OE, o défice público deste ano o défice seria inferior a 4% do PIB. O problema é que há sinais de que as metas de despesa para este ano também poderão ser ultrapassadas.

Voltando aos números dos impostos: Partindo dos valores de 2013, a receita do IVA poderia cair 2,5% face ao ano passado, e ainda assim a meta deste ano seria atingida.

No IRS, um aumento de 1% chegaria para cumprir a meta, mas o crescimento homólogo até maio está em mais de 9%.

No IRC, a receita está a cair 6,5%, mas as metas comportariam um recuo de 11% sem comprometer os objetivos aprovados no Parlamento.